O brasileiro Jeferson De é o diretor homenageado do ano e traz “Correndo Atrás”, longa-metragem inédito, com elenco majoritariamente negro, que foi exibido na cerimônia de abertura na noite de hoje (25), na Praça Cívica da Fundação Memorial da América Latina.

Resultado de imagem para Jeferson De Correndo atrás

O cineasta também tem no currículo o filme premiado Bróder (2011), e o curta Carolina (2013), sobre a escritora Carolina Maria de Jesus. E ao longo de suas produções, se tornou referência da manifestação afrodescendente do cinema no país.

Sobre suas influências, Jeferson comenta sobre o clima urbano dos filmes e como gosta de discutir em suas produções o diálogo entre as pessoas e a cidade e que busca isso em exemplos como produções cinematográficas em Nova York e citou, inclusive, o filme ET, dirigido por Steven Spielberg, grande influência dos trabalhos do cineasta brasileiro.

Sobre o impacto de “Correndo Atrás” na juventude brasileira, Jeferson diz que foca nas transformações dos universos familiares, assim como em Bróder, porém o longa que abriu o festival tem um diferencial, é a primeira vez que o diretor trabalha com o gênero comédia para discutir e trazer para as telas questões raciais e sociais.

O 13º Festival Latino-Americano de Cinema vai até o dia 1 de agosto com exibições de mais de 70 filmes de 11 países incluindo toda a filmografia de Jeferson De, contando com documentários, curtas e ficções. Para acompanhar, acesse: http://www.festlatinosp.com.br/2018/

Compartilhe essa postagem