O filme estreia hoje (01/03) nos cinemas

Após ter uma estreia discreta no Festival de Toronto ano passado, Motorrad – A trilha da morte chega aos cinemas brasileiros com um jeito único de mostrar o medo nas telonas. O filme conta a história de um grupo de motoqueiros que entra em território proibido e é seduzido a fazer uma trilha aonde a beleza da paisagem vai sendo rapidamente substituída pelo medo e pela morte.

Os personagens, baseados na HQ de mesmo nome do quadrinista Danilo Beyruth, são o melhor da história. Com ótimas atuações de todo o elenco, mas com destaque para Guilherme Prates (Hugo), Carla Salle (Carla) e Emílio Dantas (Ricardo), Motorrad nos mostra uma história envolvente, que nos faz torcer pelos personagens, mas que ao mesmo tempo, nos faz sentir o mesmo medo que eles sentem durante quase duas horas de filme.

Silêncio. Essa é a palavra principal que poderia definir este filme. É com o silêncio, que o medo se alimenta durante as cenas mais intensas da história, e é ele o ponto alto de toda a trama. Nada de jumpscare, Motorrad não precisa disso, com uma grande influência do cinema gore, o diretor Vicente Amorim não teve medo de mostrar sangue e violência quando era necessário.

Outro destaque vai para a linda fotografia do filme. Gravado em 2016, na Serra da Canastra, em Minas Gerais, Motorrad contou com uma ótima direção de arte que soube aproveitar a paisagem, mesmo sendo do gênero de terror, a maioria das cenas se passa durante o dia, e todas as cenas foram gravadas com luz natural.

Motorrad – A trilha da morte é mais uma surpresa positiva do cinema nacional, que promete revolucionar o terror no Brasil e que merece ser visto em uma tela grande.

Compartilhe essa postagem