Crítica – Aos teus olhos

Um boato pode destruir a vida de uma pessoa

Baseado na peça espanhola “O Princípio de Arquimedes”, o filme conta a história de Rubens (Daniel de Oliveira), um professor de natação querido e extrovertido que dá aulas a crianças e pré-adolescentes. Um dia, um de seus alunos alega para a mãe que o professor o beijou na boca. Tem início um verdadeiro turbilhão, onde a acusação de pedofilia rapidamente ganha proporções cada vez maiores através da internet. Mas, no fim das contas, quem está falando a verdade, a criança ou o professor? Em quem acreditar?

Em meio a tantas “fake news”, a história de Rubens não poderia ter sido contada em melhor momento.  Na trama, o boato sobre o professor se espalha tão rapidamente, que nem ele próprio fica sabendo antes da história tornar uma proporção gigante, e o mesmo acontece na vida real. As pessoas espalham notícias sem conferir a sua veracidade, e não pensam nos danos que isto pode causar, e é exatamente isto que acontece no filme.

Dirigido por Carolina Jabor (Boa sorte), o longa trata o tema de uma forma delicada, mas fazendo com que o espectador se questione o tempo todo se acredita ou não no professor, assim como a diretora do clube de natação, Ana (Malu Galli), que não tem certeza sobre a inocência do seu colega de trabalho. A cada cena em que Rubens aparece,  uma possibilidade diferente sobre o que aconteceu é revelada, o filme prende o espectador do começo ao fim.

O elenco todo se encaixou muito bem na história, e o destaque vai para Marco Ricca, que interpreta o pai do garoto que diz ter sido beijado pelo professor, que rouba a cena a todo o momento, conseguindo transmitir sentimentos de preocupação e revolta, que atinge grande parte dos pais na história. Embora o roteiro seja um pouco arrastado, “Aos teus olhos” mostra como ponto de vista pode ser algo totalmente particular e surpreendente.

O filme estreia hoje (12) nos cinemas, não perca!

Compartilhe essa postagem