Jeff Kinney falou sobre os desafios do início da carreira, o processo de criação dos livros, o sucesso de vendas da série e o lançamento do Diário de um Banana 10. 

Autor da série best seller internacional Diário de Um Banana – que já vendeu mais de 500 milhões de exemplares em todo mundo e no Brasil somam quase cinco milhões em vendas, Jeff Kinney participou no último domingo (6) do Conexão Jovem, evento oficial da XVII Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, que acontece até o próximo domingo, dia 13 de agosto, no Riocentro (Av. Salvador Allende, 6555 – Barra da Tijuca). Na ocasião, o autor falou sobre os desafios do inicio da carreira, o processo de criação dos livros, o sucesso de vendas e sobre o lançamento do décimo volume da coleção.

Destaque da V&R Editoras na Bienal, Jeff revelou que nunca quis ser escritor de livros infantis – queria ser cartunista, mas viu em suas lembranças de garoto um ótimo roteiro. “Inspirado na minha infância criei um personagem que fazia pequenos desenhos no diário dele. Tudo que aconteceu comigo de engraçado, quando pequeno, colocava nessas folhas. Depois de quatro anos, elas se transformaram na série Diário de um Banana”, conta o autor. Mas a parte difícil ainda estava por vir. Jeff conta que levou 8 anos para que seu rascunho fosse lido por um editor, na Comic Con (principal feira de cultura pop nos Estados Unidos). Ele revelou que precisa sempre criar cerca de 3.300 piadas para o livro.

O autor também conta que seu processo de criação inclui longas caminhadas. “Saio de casa e vou andando, nunca na mesma direção. E nunca volto. Ás vezes ando por horas. Aí ligo para Anna, minha assistente, e ela vai me buscar; às vezes nem sei onde estou”.

O décimo volume da série – Diário de um Banana: Bons Tempos (Old School) será lançado mundialmente no dia 3 de novembro e, diferente dos demais exemplares, terá sua capa em preto e branco. Segundo Jeff, a série não termina no próximo volume, pois “O Diário de um Banana é um cartoon, então o Greg não pode envelhecer. Vou continuar escrevendo enquanto tiver energia e as crianças continuarem a ler”, comenta.

Antes do bate papo com os fãs, Jeff participou de uma sessão de autógrafos na Praça Copacabana – dentro da Bienal. O evento que estava marcado para as 15h, começou a formar fila desde às 11h30. O autor, muito receptivo com os leitores, antecipou a sessão e começou a autografar os mais de 1.500 livros uma hora mais cedo. A sessão de autógrafos durou três horas e cerca de 500 senhas foram distribuídas aos fãs – muitos levaram suas coleções inteiras para pegar o autógrafo de seu ídolo.

Considerado um dos maiores fenômenos da literatura infanto-juvenil atual, a coleção já tem lançados no mercado brasileiro os títulos: Diário de um Banana – Um Romance em Quadrinhos (2008); Diário de um BananaRodrick é o Cara (2009); Diário de um Banana – A Gota D´Água e Diário de um Banana – Faça Você Mesmo (Edição Especial – 2010); Diário de um Banana – Dias de Cão (2011); Diário de um Banana – A Verdade Nua e Crua (2012), Diário de um Banana – Casa dos Horrores (2012), Diário de um Banana – Segurando vela (2013) e Diário de um Banana – Maré de Azar(2014).

159

Lembrando que o escritor já veio uma vez ao Brasil anteriormente, e nós do Balde de Pipoca estávamos lá quando ele veio em 2013! Fizemos até algumas perguntas sobre o filme, foi super bacana! :)

SERVIÇO:

XVII Bienal Internacional do Livro no Rio de Janeiro

Período: 3 a 13 de setembro

Horário Funcionamento: De 3 a 6 de setembro das 13h às 22h | 7 de setembro (feriado) das 10h às 22h | Durante a semana das 9h às 22h | Fins de semana das 10h às 22h

Local: Riocentro

Endereço: Av. Salvador Allende, 6555 – Barra da Tijuca

 

Compartilhe essa postagem